Review | O Monstro Dentro de Você (2016)

Natasha Lyonne em O Monstro Dentro de Você

De tão recorrente, a gravidez já virou quase um subgênero nos filmes de terror. Do clássico O Bebê de Rosemary ao recente Prevenge, o assunto já foi abordado sob os mais variados aspéctos, e agora ganha novamente os holofotes com O Monstro Dentro de Você, terror independente nem um pouco convencional escrito e dirigido por Danny Perez. A diferença é que aqui, ao invés da heroína boazinha que vê sua vida virar um inferno em decorrência de uma gravidez assustadora, temos justamente o oposto: uma protagonista de caráter duvidoso cuja vida já é um inferno. E vai ficar pior.

Lou é uma mulher na casa dos 30 anos cuja rotina se resume a beber, fumar e usar todas as drogas que encontrar pelo caminho. Depois de se entupir com entorpecentes em uma festinha da pesada, ela tem um de seus famosos apagões e acorda em casa no outro dia, apenas para descobrir que seu corpo está passando por modificações inesperadas. Os sintomas são semelhantes a uma gravidez, o que vai contra sua alegação de que não faz sexo a mais de seis meses. Quando seu corpo começa a manifestar algumas bizarrices extras, Lou começa a acreditar que algo muito estranho aconteceu naquela festa.

Imagem do filme O Monstro Dentro de Você

Assim como a desagradável protagonista, o público também embarca em uma viagem psicodélica, já que a edição faz de tudo para nos confundir. Personagens são introduzidos, ganham subtramas e depois desaparecem deixando suas histórias sem conclusão. Cenas são cortadas pela metade, sem explicação do que aconteceu depois. A própria maneira com que as sequências são montadas dificulta nossa percepção sobre cenas do presente, passado e futuro. Assim como Lou, ficamos perdidos sem noção de tempo ou direção. Mas a edição intencionalmente bagunçada é apenas um dos problemas do filme. O maior problema são os personagens. 

Bastam 10 minutos para você perceber que não gosta de nenhum deles. Da protagonista interpretada por Natasha Lyonne (Orange is the New Black) atá sua amiga Sadie (Chloe Sevigny, de Meninos Não Choram), passando pelos coadjuvantes ocasionais, todos, sem exceção, são desagradáveis. Não me entenda mal, os atores são muito bons, mas fazem de tudo para que seus personagens ganhem nosso desprezo. Aliás, essa é uma regra geral no filme: tudo é intencionalmente feio, sujo e deprimente, calculado nos mínimos detalhes para que o público se sinta incomodado.  E o  esforço obtém resultado, já que rapidamente você vai estar odiando tudo no filme. Muito provavelmente boa parte do público vai desistir de assisti-lo antes da metade. Eu mesmo me senti tentado. 

Meg Tilly no filme O Monstro Dentro de Você

O filme tem alguns raros bons momentos e até ganha um pouco de fôlego quando entra em cena a personagem vivida por Meg Tilly, que surpreendentemente dá um certo sentido à história. Há algumas cenas particularmente nojentas, que com certeza colocariam um risinho discreto no rosto de David Cronenberg. Cheguei até a me divertir nos momentos finais, quando o filme finalmente resolve chutar o balde e nos entregar uma cena digna dos bons momentos dos filmes B. Mesmo assim, isso é muito pouco no meio de tanta ruindade. A diversão se dilui facilmente diante da maneira incomum com que o diretor constrói o filme.

O Monstro Dentro de Você é uma obra corajosa, sim, mas é estranha demais e de difícil digestão, a não ser que você tenha paciência e disposição para encará-lo como uma crítica sobre o aborto. Ou sobre o não-aborto. Ou sobre os efeitos negativos de uma vida de excessos. Ou seja lá o que for. Com certeza, existe algo no mínimo relevante aqui, e o filme vai encontrar um público, mesmo que restrito, que consiga valorizá-lo. Infelizmente, não aconteceu comigo.


(Antibirth, Canadá/EUA, 2016) Direção e roteiro: Danny Perez. Elenco:  Natasha Lyonne, Chloë Sevigny, Meg Tilly, Mark Webber, Maxwell McCabe-Lokos.

Review | O Monstro Dentro de Você (2016) Review | O Monstro Dentro de Você (2016) Reviewed by Sangue Tipo B Filmes de Terror on sexta-feira, agosto 11, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário